Olhe-se através do espelho!

Você provavelmente já ouviu falar que o outro é sempre o nosso espelho! Sim, exatamente o nosso espelho. Tudo aquilo que gosta e não gosta no outro, reflete em você mesmo.

Agora me responda: Você consegue ver o que é bom no outro e reconhecer em você? Ou o que é bom em você simplesmente não importa se o outro tem a mesma característica?

Provavelmente ainda é uma tarefa árdua imaginar que uma pessoa crítica possa perceber e admitir que o que mais incomoda quando olha o outro é porque tem o mesmo dentro de si. Sendo assim, é melhor dizer que não temos empatia… boa justificativa, não acha?

Você observa seu semelhante e pergunta a si mesmo: Porque o outro me incomoda tanto?

Se fizer isso, parabéns! Caso não faça, exercite buscar tal resposta; vai se surpreender com o aprendizado. Perceberá o quanto lhe será acrescido na vida, na sua conduta e até mesmo poderá dar um novo rumo ao seu destino. Isso se chama aprendizado.

A grande dificuldade está na forma de interpretar tais informações. Afinal de contas, se você nasceu em uma família onde apenas você é a grande vítima, todos são cruéis para com você. E você imagina fazer de tudo por todos e ninguém lhe dá o devido valor. Parado aí! Será que não tem nada de errado nisso?

Responda a si mesmo sinceramente: O que é mais fácil, você tratar todos do mesmo jeito e obter as mesmas respostas ao seu redor, ou todos terem o mesmo comportamento?

Fica um tanto quanto evidente que é muito mais fácil você agir de uma determinada maneira em relação a todos do que um grupo desenvolver um comportamento único; isso porque somos seres diferentes e embora estando na mesma família cada qual tem seu jeito de ser, interpreta diferentemente as experiências da vida, vive de acordo com suas próprias crenças e percepções.

Agora sem culpas, vamos entender um pouco sobre o que é esse aprendizado.

Isso não quer dizer que se alguém tem um comportamento que você não gosta, ele não é bom, compreensivo, carinhoso e não tem todas as virtudes possíveis que um ser humano possa ter. O que acontece é que a resposta que você recebe não condiz com suas necessidades. Mas será que todas as pessoas têm a obrigação de suprir suas necessidades? Afinal de contas, você é responsável pela sua auto-aprovação, por sua auto-estima e inclusive seu auto-amor.

Criticar apenas porque o outro não supre suas necessidades não é justificável e tampouco dizer que você não gosta. Uma das diversas maneiras de aprender com a situação é perguntar o que a pessoa que você não aprova deveria desenvolver para ser melhor?

Vamos a um exemplo:

Você tem ao seu lado uma pessoa rígida, controladora, inflexível e julgadora. Isso não quer dizer que você tenha as mesmas características. Vamos juntos refletir sobre o que essa pessoa precisaria aprender para ser melhor consigo mesma e com o outro.

Uma pessoa rígida que não permite flexibilidade em seus pensamentos e tampouco na sua conduta, provavelmente seria mais feliz se desenvolvesse a aceitação de ser como é sem tantas cobranças, sem se tolher dos aprendizados que a vida oferece e que não são absorvidos por medo de errar e ser condenado já que aquele que julga sempre será julgado. Aprender a elogiar e descobrir que ninguém é uma ameaça e, sim, que podemos somar sem ter que deter poder para mostrar ao outro que é melhor. Afinal, melhor em quê? Somos únicos nesse imenso universo. Aprender principalmente a acreditar mais em si mesmo, porque é justamente a insegurança que faz uma pessoa agir com inflexibilidade, críticas, rigidez e controlar todas as situações por medo da crítica.

Sendo assim, podemos aprender com o lado positivo do negativo. Viver esse aspecto é um conforto em nossa caminhada por ajudar a agregar valores imprescindíveis em nossas vidas. Exercitando tais virtudes aprendemos a amar e a respeitar o outro com seus aprendizados porque temos o mesmo a aprender, abolindo a crítica e banindo o papel de vítima da vida.

Portanto, aprenda a aceitar você do jeito que é para ser uma pessoa melhor. Aprenda a elogiar com sinceridade para ter o mesmo em troca. Aprenda a confiar mais na vida para banir o controle sobre si mesmo, para não ter que controlar os outros por falta de auto-confiança. Aprenda a ouvir e a entender que cada ser tem suas regras pessoais e merece respeito, aliás, será que suas regras são melhores que a dos outros?

Exercitando isso vai sentir que as pessoas já não incomodam porque cada uma tem seus aprendizados e seu jeito único de ser.

Reflita! Será esse seu aprendizado para ter uma vida melhor e uma relação saudável com o seu próximo?

Lembre-se: evoluir é o caminho de todo ser da raça humana. Eu Acredito em você!!!

Escrito por Sandra Helen Trovo/Consultora.