Moxabustão.

A MOXABUSTÃO ou simplesmente moxa, é uma técnica de estímulo dos pontos de acupuntura por aquecimento. É uma técnica que estimula os pontos por aquecimento. Sendo recomendado para síndromes frias como: reumatismo, artrite, artrose, bursite, baixa resistência física, etc.

O aquecimento dos pontos fornece calor e energia para o corpo. Por isso é muito indicada para as doenças por ataque de frio e pela umidade, e para situações com deficiência de energia (convalescência, doenças crônicas, pessoas fracas e debilitadas e pacientes idosos). Dizem até que todos os pacientes idosos devem receber primeiro algumas sessões de moxa antes de qualquer outro tratamento energético, para recarregar as energias do corpo e prevenir doenças.

O calor realmente produz vaso-dilatação, efeito antiinflamatório e analgésico. Os banhos quentes relaxam o corpo e a mente. As compressas quentes são úteis para amenizar as dores crônicas e as contraturas musculares. Entretanto, a aplicação do calor em áreas extensas do corpo em longo prazo traz efeitos colaterais, como enfraquecimento e má circulação sangüínea.

Os terapeutas orientais aplicam as moxas nos pontos de acupuntura permitindo uma atuação mais precisa e eficiente, sem tais efeitos colaterais.

A moxa é feita através da queima de uma erva medicinal chamada ARTEMÍSIA.

As folhas da Artemísia são secas (no sol e na sombra). São trituradas até adquirir a consistência de lã. São elas chamadas de moxa.

Outros instrumentos podem ser usados para aquecer os pontos como:     lâmpadas, resistência elétrica, secador de cabelos, etc. Tais expedientes realmente funcionam, mas acredito que a queima da Artemísia tenha algum efeito energético extra.

A moxa pode ser queimada diretamente sobre a pele, chamada moxa direta, ou para evitar queimaduras, coloca-se entre a pele e a moxa uma camada de alho, cebola ou gengibre, chamada de moxa indireta. Utiliza-se também o aquecimento através de bastões de moxa aproximando e afastando da pele.

O bastão deve ficar numa distância de 1,5 a 2 cm. A distância ideal é aquela onde o ponto é aquecido lentamente, numa intensidade confortável, assim o calor pode penetrar profundamente. Por isso não deve aproximar demais o bastão, pois o calor se torna insuportável rapidamente, nem ficar longe demais, porque demorará muito para aquecer os pontos. Na dúvida, coloque seu dedo próximo do ponto a ser aquecido, como sensor de calor.


Ao comer e se vestir, esteja certo de manter a temperatura correta. Se preferir estar frio, deve expor-se somente a um frio moderado e, de forma alguma, ficar congelado.
Se preferir ficar aquecido, deverá expor-se a um calor moderado e, de maneira nenhuma, ficar aquecido até transpirar. Este princípio deve ser seguido especialmente ao comer e beber. Comida quente não deve ser escaldante e as comidas frias não devem ser extremamente geladas.

Para a medicina chinesa, o princípio da moderação deve ser aplicado em todas as situações da vida. Comer e beber em demasia, praticar exercícios físicos em excesso, ter uma vida sedentária demais, manter uma atividade sexual excessiva, são atitudes que resultarão no desequilíbrio yin/yang*** do corpo.

O princípio fundamental da harmonia yin/yang é que o yang qi deve ser conservado forte e denso para que o yin qi possa permanecer tranqüilo e suave. Portanto, a manutenção da harmonia do yin e do yang é a melhor maneira de manter a boa saúde.


*Aplicação de calor, gerado pela queima de ervas medicinal, no local onde se encontra o desequilíbrio energético.

Duração: 03 aulas – 12 horas/aula.